JM Online - Mobile

Uberaba, 31 de outubro de 2014

Play Store App Store

POLÍTICA

topo

CMU aprova correção de 5,56% nos salários dos 14 vereadores

Uberaba, 19 de favereiro de 2014
A Câmara aprovou ontem o Projeto de Lei 42/14, de autoria da Mesa Diretora, autorizando a correção nos salários dos vereadores de Uberaba com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado no período de janeiro de 2013 a janeiro deste ano, da ordem de 5,56%. Em que pese a sessão ser dedicada a requerimentos, o presidente Elmar Goulart (SDD) solicitou a inclusão de urgência do PL na pauta, o qual foi aprovado não sem antes a manifestação da vereadora Denise da Supra (PR), que se colocou contrária ao texto.
 
Isto porque ela havia entendido que se tratava de reajuste salarial, dúvida que se desfez após explicação do presidente. Atualmente os vereadores de Uberaba recebem salário mensal de R$9.118,16, que, acrescido dos 5,56%, passará a R$9.626,12, sendo que o subsídio do presidente, 1/3 maior, é de R$16.363,59, conforme dados disponíveis no site da Câmara. Ante a correção, o vencimento passará a R$17.273,40.
 
Ainda na sessão de ontem, o vice-líder governista, vereador Kaká Se Liga (PSL), propôs a criação de três frentes parlamentares: sobre o gasoduto ligando Betim a Uberaba; o BRT/Vetor, e a Região Metropolitana do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (RMTRIAL). “São assuntos de relevância, assuntos macro para Uberaba, e a Câmara tem que acompanhar de perto”, justificou. A viabilização das frentes será debatida em reunião reservada entre hoje e quinta-feira, antes do plenário.
 
A proposta já tem o apoio de Elmar Goulart, que queria aprovar a criação das frentes ontem mesmo, no entanto, o vereador Marcelo Borjão (DEM) se colocou contrário ao argumento de que “o gasoduto hoje virou assunto politiqueiro. Virou uma politicagem. E esse BRT é uma vergonha. Não vejo necessidade [de criar as frentes]”. Para Kaká, a divergência é natural, mas assegura que irá insistir com a demanda.
 
Presidente da Comissão de Micro e Pequenas Empresas, o vereador Samuel Pereira (PR) criticou a Secretaria de Planejamento, que, segundo ele, não tem dado atenção e incentivos aos pequenos e microempresários. O republicano defende a inclusão de uma emenda ao projeto do Plano Diretor alterando a lei de uso e ocupação do solo para permitir a instalação de empresas na cidade como um todo, ao que o titular da Pasta, secretário Cláudio Junqueira, disse ao Jornal da Manhã que fica receoso de fazer a liberação incondicional e o resultado ser prejudicial ao coletivo.
 
“Estou cansado, estarrecido de tanta negativa que a Secretaria de Planejamento está dando a pequenas empresas que querem se instalar na cidade”, disparou o vereador, para quem “não estão me ouvindo, então vou ter que mudar meu posicionamento.
 
Não vou deixar de ser governo. Só que o governo tem que respeitar nossas posições, ouvir vereadores, população, pequenos empresários. Eles não têm nem atenção”. Samuel informa que na próxima semana a comissão irá se reunir com representantes da CDL, Aciu e Sebrae.
 
Cláudio Junqueira conta que pela manhã havia se reunido com o vereador, a quem colocou sobre sua preocupação de liberar a instalação das empresas e também de templos religiosos para a cidade como um todo, e com isso gerar incômodo, principalmente nas áreas residenciais. Ele, contudo, disse que se a Câmara achar importante a apresentação da emenda, existe disposição para analisá-la, inclusive junto com a sociedade. Ele adianta que o projeto do Plano Diretor, que já tramitou na Casa, mas foi retirado, deverá retornar entre hoje e amanhã.
 
O secretário reforça a necessidade de votá-lo logo para dar andamento aos projetos/empreendimentos que estão parados aguardando sua aprovação.
Versão clássica do JM Online
Institucional
Ir para o site Rádio JM 730
Telefone: (34) 3331–7900 – Fax: (34) 3321–8200
Todos os direitos reservados
Jornal da Manhã © 2012